domingo, 22 de agosto de 2010

Medo

Quando algo te leva a perder
Alguém por quem penses
Trocado por prazer

O que sentes?

Quando foges para a solidão
Perdendo toda a noção
Em qualquer mundo que inventes

O que sentes?

Quando te perdes e vais
Para o cume que não alcanças
Voando demais

Porque não descansas?

Oh, liberta-te da tua depressão
Vem e dá-me a mão
Sou um ansiolítico empenado

Toma-me com cuidado

Sou eu total emoção
Para a tua sorte suja
Mas lavo o coração

Sou a lixívia cuja
Emolção tu tomaste
Lavando o que penses
Toldando o que sentes
Pois me mastigaste

Sou a Arte

Que nunca ousaste.

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!