sábado, 21 de agosto de 2010

Parecer

Sou uma racha
No chão
Para onde tudo escorre

Sou uma chaga
Na mão
De onde o sangue escorre

Sou um poeta qualquer
Que o que sente não quer

Sou um amor qualquer
Sou o que tento ser.

1 comentário:

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!