domingo, 20 de fevereiro de 2011

Pobreza

Crianças, perdidas
Ao sabor do vento...

Voando sem intento
Com esperanças consumidas...

Arrastadas por um mundo infiel
Desleal, maldoso, cruel...

Se ao menos, por magia
De nossos próprios afazares
Pudessemos dar luz a cada dia
A estes pequenos sem quereres

Quem dera que fôssemos capazes
De prever momentos mais audazes
Que criássemos novos ares

Que voássemos novos voares.

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!