quarta-feira, 9 de março de 2011

Inimizades

No carrossel de uma vida desmedida
Ataco este, ataco aquele e ataco tudo.

Mas porquê tanta ferida
P'ra tentar mudar o mundo?
Se a vida é bem definida,
Como aproveitar o oportuno?

Se alguém nos faz caminhar
Para quê depois ir

Deixá-la, e partir,
No trilho, ainda pisar?
P'ra que raio tanta agonia
Não podemos todos partilhar o dia?

Não podemos apenas e só,
Na mais pura das estesias
Sermos um pouco mais o Sol
Para o resto dos nossos dias?

Não podemos apenas ser,
Um momento: amar e viver?

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!