segunda-feira, 14 de março de 2011

Quadra da morte

A morte algemou-se a mim
Espalhada no chão em mil cacos.
Segredou-me o nosso fim
E também eu fiquei em pedaços.

1 comentário:

  1. Não permitas que as algemas
    da morte te despedacem,
    que não morram os poemas
    que da tua alma nascem...

    Abraço

    ResponderEliminar

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!