quarta-feira, 2 de março de 2011

Sem título 3

Ouve-me, quando nada tenho a dizer.
A tua voz é a prosa dos meus dias
O teu toque a maior das poesias
E o teu beijar algo ainda por viver.

O teu existir é o meu pesar
A tua presença causa-me assombro,
Não há forma de me acalmar:
De te amar, quase que morro.

Vejo que és apenas alguém,
Tão perdida quanto me sinto
Será que amo, ou minto?

Amor é palavra quando convém
Para mim nem o faria gesto
Amar é ver-te e tudo o resto...

1 comentário:

  1. É verdade, o amor é incerto, é louco, mas não imagino alguém a ser feliz sem ele. E também não está nas mãos de outrem, apenas de quem ama. E parar faz bem (:
    Às vezes o amor deixa as pessoas assim, perdidas. Espero que encontrem o vosso caminho $:
    Beijo (:

    ResponderEliminar

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!