sábado, 9 de abril de 2011

Chávena

Adeus, parto agora a deixar-te para sempre.
Se de forma te tornares diferente,

Tão pouco me surgirá o interesse.

Não que ter-te não me apetecesse

Ou que o teu toque não me contentasse.

Mas a dosagem foi tanta que caí em mim

E, finalmente, creio que percebi

Que se tudo, enfim, continuasse

Não existiria nem espaço para te seguir

Nem intenção de te querer ver rir.

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!