sexta-feira, 15 de abril de 2011

Deus.


Do que de bom há para dizer
E que de bom sempre é ler
Falta também a parte mais traiçoeira
Que nunca calha bem, nem que se queira.

Tanto a mulher vem a sofrer
Como o homem vem a morrer.

E apoiado num deus inexistente
Ou que existindo nem aparente
Não creio que haja vida concreta
Repara-se até que é incorrecta
Tal forma de alguns assim pensar
Amando a seu deus assim matar.

Viver e sermos nós e ajudar,
O resto virá até tudo acabar.

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!