domingo, 29 de maio de 2011

Enganar o tempo, pagar o espaço


Apago a luz da vela...
Que dava um ar mais romântico a esta divisão...
Apago-a, para pensar nela...
Imerso, mergulhado na escuridão...

Se o tempo... não pagasse por cada momento...
E se o espaço... fosse tão fácil de enganar...
Por certo não sentiria este tormento...
Que é tentar... tentar-te amar...

E eu faria a lua brilhar
E o sol aparecer durante a noite
Se chegasse para te tocar
Se chegasse para abrir-me um horizonte...

Agora... já trago o pagamento na algibeira
Mas o tempo não o parece aceitar...
E o espaço sente a minha presença matreira...
Sou incapaz... incapaz de o mudar...

Assim eu apaguei a vela...
Para pensar... em ti...
E enquanto não conseguir tê-la...
Pensarei que me queres a mim...

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!