segunda-feira, 4 de julho de 2011

Vulgos marítimos

Sinto-me sem sentir,
E isto já há quanto tempo.

Rodeado,
Os corais rodearam-me, anémona,
E resplandeci em cores.


Mas,

Sinto-me sem sentir,
E isto já há quanto tempo.

E preciso de sentir,
Respirar,
Mas o ar demora...

(Ainda bem que há coral.)

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!