segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Confidências

Cada pedaço
De ti
Vem agarrado a um momento,
Que se repete em instantes consecutivos,
Num gesto,
Num olhar,

Num sítio.
Um toque,
Um abraço,
Pernoitam o calor perdido,
Envolvo-o entre os dedos num movimento
Circular e infinito,

Não perdendo nunca o novelo
Das minhas confusões,
Preocupações distantes na dúvida persistente.

(Ás vezes dou-me apenas a pensar se
Deveria ter agarrado com mais força
Ou se não deveria pensar em nada.)

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!