sábado, 10 de setembro de 2011

Revelações que o café quente traz enquanto se beberica


Interessante.
Interessante já não é ficar parado nas minhas ideias,
Também não é pôr as ideias a rolar.

O interessante agora é praticar.

Querer pôr o momento num frasco
E esgotá-lo
Até ao descascar da semente

Já não é opção.

Mas agarrar o momento
(Como quem agarra um passarinho)
Acarinhando cada oportunidade

É algo que talvez seja mais proveitoso.

Agora, entendo (um pouco) a inexistência do tempo
E a ilusão tão complicada de cada homem.

E sabes, falando directo para ti:
Que eu queria apenas procurar-te com os dedos
E germinar na tua face toques de alegria
Formando as curvas do teu sorriso
Assim um pouco como a espuma do café,
Em lapsos de liberdade,
Em que tu me dás a mão
Apenas quando tens vontade,
E o resto do que vivemos
Sou eu que te agarro,
Enquanto quero
Enquanto posso.

Por agora espero,
E mexo o café,
Sonhando o teu sorriso na espuma.
Tão real que bebo devagar,
Devagarinho.

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!