sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Tomo outro, que demora

Três e meia.
E eu,
Ainda aqui, no café

Desenhando cafés em guardanapos
Sujos
Por borras de paciência.

Tostas de esperas eternas,
Espalhadas em
Migalhas de decepção.

(Só espero mais 10 minutos.)

E eis que chegas, ensopada
Abres os dentes e pedes um leite
Para tingir o granito dos teus lábios.

Pedes desculpa pela demora,
E eu digo: "não faz mal",
Mas os meus lábios sabem a café.

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!