terça-feira, 4 de outubro de 2011

(P)


Abre a porta
P'ra que vem, mas p'ra que vem
Não importa a presença de
Já cá estar,
Estas coisas ensina-se lá para fora
Assim como assim bater primeiro
Aspergir boa-educação antes de rodar a maçaneta
Mas só lá fora, cá dentro esquece
Não importa, está tudo ensonado
Se me chatear leva uma caralhada
E que se foda, mijo no bidé se houver alguém na sanita
Quando sair a ver se me lembro de lavar as mãos
Ah já fechei a porta e esqueci-me
Tou-me a cagar e não me interessa
Não estou lá fora
Vou à cozinha ficar em pé em frente ao frigorífico
Não há nada de jeito para comer
Apetece-me leite bebo do pacote
Também ninguém viu
Se visse também pouco me importava
Mas bom se houvesse cereais isto ainda lá ia
Enfim
Só a porta do quarto é que está fechada
Mas sempre que volto tenho a janela aberta e não gosto
Porque depois entram bichos e eu não gosto
E obrigam-me a fechar a janela aos pontapés
Está tudo espalhado pelo chão
O meu sofá serve para empilhar roupa
Quando precisar de me vestir meto a roupa para lavar
E fodace deixa-me em paz
Não viste que tinha a porta fechada
Põe-te na alheta
Sim estive a falar com ela
Já tou farto
De quem de ti seu nabo
Sim adeus fazes bem
Estava a ver que não...

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!