segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Telofase, Citocinese

Chega-te p'ra lá que já passámos a fase transformada
O que foi já foi e agora não é nada,
Quero enfiar os olhos no meio da almofada e pensar que acabou,
Não me interessa, se foi mau, se foi bom,

Tenho uma claque de enzimas para me descoser
A cada lembrança acabo por te perder
E a tua cara é um perfume ancestral
De ti não guardo muito mais do que aquilo que correu mal.

(É estranho que o que mais bom tenha sido
Só venha se eu me sujeitar a ser espremido)

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!