domingo, 11 de dezembro de 2011

Assim sentava-me de forma diferente

Às vezes
Desejo
Ser louco
Para não ter pudor
Em sentar-me
Sozinho
Abrir os braços
E berrar aos céus
Todas as perguntas
Que me corroem
A esperança.

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!