domingo, 11 de dezembro de 2011

De nada, em vertical, em nada, em fuga, respostas

Janelas
Estantes,
Acudo-me a achar
Ali
Um mundo
Diferente
Misterioso
Ao avesso,
Com todas as respostas.

Então
Pegava nelas
Percorria
As capas
Com os dedos
Assim
Como quem
Percorre
Um corpo
De mulher
Com
Leveza
Com
Lentidão
Muita
Lentidão
Tornando-a
Sensualidade
Percorrer
A capa
Cheia
De pó
De respostas
De letras
De fugas
De vícios
De mim
De nada
De ti
De nada.

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!