domingo, 26 de fevereiro de 2012

1

Abri as portas
A dar para os corredores
Da morte cutânea.

E ali estava eu
Novamente enjaulado
Pinga a pinga
A gotejar
A esvaziar-me
De mim

Morria então
Por dentro
Não queria
Não podia
Morrer outra vez

Por isso parei
Para tentar apanhar
O suspiro último
Daquilo que ainda quero ser
Neste mundo retrógrado.

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!