quarta-feira, 4 de abril de 2012

\\\\\\\\\\\


Quando tudo estiver pardo

E não encontres nem luz, nem cor,
Nem objecto, nem sombra,
Nem árvore, nem fruto,
Nem morte, nem luto

Quando tudo estiver aceso

E não encontres nem verdade, nem mentira,
Nem calma, nem peixaria,
Nem cabeça quente, nem cabeça fria,
Nem papel, nem caneta

Quando tudo estiver contra ti

Levanta-te, endireita-te
A árvore cai para o lado que se inclina
Agarra-te à tua convicção
E, moderadamente, domina.

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!