segunda-feira, 30 de abril de 2012

Burrice M


Mesmo não tendo o que quero

Tudo isto é burrice
As coisas não foram para ser feitas
Assim
E eu já sabia
Já todo eu me dizia
Mas nada em mim me queria escutar
Nada em mim queria aceitar
Tinha de ser como eu queria
Não, nunca como eu me dizia

Mesmo não tendo o que quero

Uma espiral incontornável
Perdi o sentido por momentos
A culpa foi minha
Deixei a natação e principiei
A afogar-me
Quando todo eu me dizia
Mexe os braços
Dá às pernas
Mas não, nunca o que eu dizia
Porque não quero, não queria

Então se agora não tenho o que quis
Se agora não tenho o que quero
Se parece que não vem Verão
Só Inverno
Então que me levante com cobertores
Eu até gosto de atear fogueiras
Que me aqueça com brasas
Que me puxe e me levante
Não posso ficar caído
Cair faz parte mas ficar em baixo
Não pode ser

Mesmo não tendo o que quero

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!