quinta-feira, 20 de setembro de 2012

349

não se ouve nada
sumiu-se o burburinho de sempre
a poeira desce a deitar-se
com os mortos

não se houve nada
mas há quem grite

apodrece no chão
a humanidade
em auto-destruição
em imbecilidade

1 comentário:

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!