quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

As rosas

Sim,
As rosas murcham rapidamente
Como a vida.

Talvez o problema seja
Que entre o botão e o nada
Que vem depois,

Há uma parte em
Que se precisa sustentar a beleza
Toda de uma vez.

E o botão por vezes não se forma
E as pétalas nascem já desfeitas
E as lágrimas escorrem como orvalho
E a manhã congela a beleza efémera.

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!