terça-feira, 22 de janeiro de 2013

encontranços caminhanços

encosta-te por aí
nos calabouços do sorriso

fica, para que percebas
o verdadeiro compromisso

que há de mim
para comigo.

(Enquanto isso, lá fora chovia
Como chove sempre que é noite
No Inverno desta sensação
Menos morta, mais triste.)



















oh, cá dentro quão triste
quão apagado, quão alheado,
quão nulo, quão sem razão

não há vontade, não há paixão,
não há movimento, não há acção,
não há nada, nada não existe...















(Enrolado a ver a chuva cair
O Desejo fita a Coragem perdida
Ir de encontro aos esgotos
Que a perdem para sempre.)

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!