terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Instantâneo



De pouco te serviria saber-me melhor
Que eu a cada momento mudo-me e
Nem eu nunca sei quem me faço.

Se há falta de símbolos que importem
Eu não tenho aonde me prender e
Isso é fonte de desgosto maior.

Por isso que a palavra seja clara
Porque isso é falta de melhor e
O melhor é tudo o que me falta.

                Percebe que eu te sussurro
                Para tentar iludir-me de que não te digo
                Mas oiço-te
                E será talvez essa a razão maior
                De continuar tangendo a língua
                Ao sabor do teu nome,
                Qualquer que seja.

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!