quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Veritates

Temo que neste momento
Pouco inerte haja em ti.
Nada fica no tormento
Dos dias de mim.

Que importa? Morreria
Se à sepultura chegasse.
Por ir-se cedo, não seria
Melhor nunca que durasse.

Com a gadanha dos dentes despertos
Rangendo na tritura das razões,
Sabes os meus desejos.

Não tenho condições
Impostas à minha vontade,
Que não a de ser toda verdade.

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!