sexta-feira, 19 de julho de 2013

Estrutura Diferenciada

Faz-se noite e a tua luz deixa-se acender em silêncio.
Contigo biliões de estrelas que te navegam perdida.
Onde te leva o vento? Que caminho tomaste teu?

Perdeste as respostas e o teu sorriso acende cigarros ao escuro.

Aqui os grilos não cantam e o murmúrio das ondas só te deixa só mais.

Tudo em ti é postiço até que a noite te cobre.
E a tua força é dor quando o teu sorrir não pode.
Aí és tu sozinho numa melancolia de quem se acha errado.

De repente errado quando tudo estava tão certo.

Merecedor de tanto apoio de tantos que julgavam por alto bem.

Abandonado talvez usado talvez abandonado.

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!