terça-feira, 22 de outubro de 2013

Wut wut

After the long sound of the trees
Did the wind finally speak it's words
Take the journey upon your shoulders
It claimed that no path was straight enough
To ever walk upright all of the time
And that moments would come
When the earth would be closer than the sky
And that all that there was to be left alone
Was ressentment - That
Was to be thrashed and scattered away
From the foolish fear of being a fool -
So did the trees sound silently
Whispering concordance with the wind
One sat alone the fire that iluminated the night
One to be, one and I.

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

domingo, 13 de outubro de 2013

tengo tengo



Monta o estaminé
Procuras adquirir vontade
Coisa pouca, o que venha
O que há
- Se possível muito por pouco –
Era tão bom se fosse tudo dado
Então ficava estendido ao sol
Depois de repente lembrou-se
De como é chato não fazer nada
E ser uma nulidade
Como as coisas já fora da validade
Não servir para nada
De repente ter tudo
E não servir para nada
Ora que esta, hein
Ah perdeu-se-lhe a linha
Outra vez a divagar
Até o horóscopo diz melhor
Lua em cascos de rolha sempre à toa
Sonha pouco à noite compensa ao dia
Espera caralho se faz favor
De repente toda a vontade
Cálculos repentinos de sonhos novos
Umas quantas lecas e umas férias
E ai ui ai ui
Vou ser o que nunca fui
Já tenho vontade,
Feche-se o estaminé.

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

dx

que brincadeira era esta
pousei o ruído ao lado
novamente completamente enganado

só o silêncio toma conta de mim
neste ranger dos dentes e nesta raiva surda
de não compreender já nada

afinal que quanto mais falo
menos se entende
não há onde chegar