domingo, 8 de dezembro de 2013

Recortes

aqui e ali (...) estes fermentam
e se fermentam crescem (...) sabem pouco (...)
afinal é tão maior (...) aquele ponto (...)
ínfimo (...) qual universo novo (...)

porque é que (...) uns pulam pelo caminho
com o alvor da madrugada (...) e as caras
sempre fechadas (...) quais arcas velhas
de vidas passadas (...) roupa comida pelas traças

fecham os olhos (...) para pensar (...)
parem (...) o sinal é vermelho
claro (...) só vermelho (...) para os que vêem

então é necessário (...) tudo
até esta extrema fadiga (...) que principia
a mortandade (...) para atingir o tempo (...)

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim! Obrigado!