segunda-feira, 24 de março de 2014

It's gone on for too long and this is it

Dizes que compreendes
Mas a tua compreensão é limitada
E recusas-te a aceitar que agora é nada

Se o tempo já passou
O tempo não flui ao contrário
E tudo está a andar p’ra frente…

E não há nada para dizer.
Houve um momento em que o queria fazer
Mas agora
Agora

Não tenho vontade de lutar.
Porque a verdade é
O tempo passa e
Ficamos por aqui

A levitar
E não há nada que me faça mudar
De ideias
Quanto a ti…

Nem sei se dizes
Que não aproveitaste.
Que esperas de mim?

Não volto a quem não voltou p’ra mim
No momento correcto.

E o que eu sei é que sei

Que sair é o mais certo.

sexta-feira, 21 de março de 2014

Epah é que mete mesmo nojo

Imagem... repugnante.
O que fazes para existir?!
Não tens cabimento no mundo natural!
(Serias seleccionado para a morte!)
E agora entendo a vocação dos Homens
Para a evolução grosseira de volta a entes estúpidos
No horror de um gesto teu...
De ver! Qualquer que seja!

Sobeja em mim discórdia
Qual a tua razão de ser?

Mas convém parar e abrir os olhos
A tua triste figura nada mais que distracção
Para o real problema que a todos acompanha.

O Mundo preenche-se de tolos
Os tolos enchem-se de "razão".

Talvez o momento da aniquilação
Para a espécie-rei no presente
Venha da sua própria gente.